TECIDOS DE PROTEÇÃO PARA FUNDIÇÕES DE COBRE

Os tecidos técnicos para fundições de cobre devem proteger tanto do calor radiante como dos respingos de metal a altas temperaturas (1.100 ºC)

Apesar de com menos temperatura que na siderurgia, neste setor também existe um grande risco de queimaduras por calor radiante (zonas com mais de 1.100 ºC). Ainda assim, o maior risco continua sendo em respingos de cobre fundido. O comportamento do respingo de cobre fundido é muito parecido ao do ferro ou aço, visto que o seu ponto de fusão é relativamente alto (1.085 ºC). Pela mesma explicação que no caso da siderurgia, a viscosidade deste metal em estado líquido é relativamente baixa, portanto o maior risco de um respingo de cobre é a temperatura elevada.

Nas fundições de cobre, também existe o risco de queimaduras provocadas pelo calor por contato e, ocasionalmente, podem acontecer fogos repentinos por arco elétrico ou respingos de algum material químico líquido. O estudo do comportamento de todos estes riscos no nosso laboratório nos permite oferecer soluções específicas para este tipo de fundição.

Estes são os tecidos ignífugos que a Marina Textil desenvolveu para as fundições de cobre. Clique sobre qualquer um deles para conhecer as suas especificações.

NORMATIVAS QUE DEVEM CUMPRIR OS TECIDOS DE PROTEÇÃO PARA FUNDIÇÕES DE COBRE